Delinquência Juvenil
delinquencia_juvenil.jpgA delinquência juvenil refere-se aos actos criminosos cometidos por menores de idade. Muitos países possuem procedimentos legais e punições diferentes (no geral mais atenuados) em relação aos delinquentes juvenis, em relação a criminosos maiores de idade.


Seis em cada dez jovens delinquentes em Angola não têm instrução primária completa.


A maioria das crianças e jovens envolvidos em crimes nos últimos cinco anos em Angola não possui a instrução primária completa.


Seis em cada dez crianças envolvidas em crimes não sabem ler e escrever ou não completaram a quarta classe.


Entre 2001 e 2007, a polícia angolana registou milhares de menores envolvidos em actividades criminosas, dos quais apenas uma pequena percentagem seriam raparigas.


Na apresentação das estatísticas oficiais sobre delinquência juvenil, o director-adjunto da DNIC salientou que 2003 foi o ano em que se registaram mais casos envolvendo menores, ultrapassando os 800, verificando-se depois reduções em 2004 (618) e em 2005 (610).


No período entre 2001 e 2005, as províncias de Luanda, Huíla e Benguela foram as que registaram mais casos de delinquência juvenil.

Só na província de Luanda registou 609 casos, seguindo-se as províncias da Huíla, com 261 casos, e de Benguela, que registou 188 casos".


As províncias que registaram o maior número de casos de menores envolvidos em crime são também as províncias que possuem mais crianças em situação de risco.


No entanto, que estas estatísticas referem-se apenas aos casos que chegaram ao conhecimento da área de prevenção de delinquência juvenil da DNIC, ou seja, estes dados podem estar abaixo da realidade.


O grupo etário mais referenciado nas estatísticas de delinquência juvenil é o dos jovens de 14 e 15 anos, mas tem sido registado uma tendência para o aumento dos jovens criminosos.


De facto, existe uma certa tendência para o aumento do número de menores envolvidos em crimes, especialmente nos jovens com 15 anos.


Entre estes registos foram registados casos de furto, ofensas corporais, roubo e de violação envolvendo menores em Angola, além de centenas de casos de homicídio.


Há uma tendência preocupante dos jovens para a violência física, o que está a causar apreensão entre as autoridades policiais.

 

                                                          PATROCINADORES